Universo Imaginário

 

Na série Universo Imaginário, o artista plástico André Cerino faz um viagem ao seu mundo interior, revelando imagens de um universo que está muito além do nosso olhar externo. A obra possibilita ao espectador criar suas formas e encontrar referências do seu próprio imaginário. Para o artista, é preciso não conduzir a arte, mas deixar que ela o conduza pelos caminhos das infinitas possibilidades da criação.

 

Cores do Cerrado

 

Para pintar essa coleção - que já soma mais de 100 telas -, Cerino raramente usa pincéis. Ele explica que o contato direto das mãos com a tinta e a tela o aproxima da natureza que deseja representar. "Quando aprendi as técnicas da escultura, passei a sentir, mexer e moldar melhor a terra", declara. "Nos quadros, também pretendo tocar a tinta, bem como o solo, as folhas e as flores do cerrado". Além das mãos, Cerino também utiliza materiais não convencionais na pintura, como lâminas - o que, em sua opinião, tem trazido resultados mais espontâneos e cheios de movimento, retratando justamente a dinamicidade da natureza.